segunda-feira, 24 de setembro de 2012

sem título

(Francisco de Goya. El sueño de la razón, 1799)

À noite
em alto-mar-você
flutua no céu      nenhuma estrela
nem a lua      ao lado
(ou dentro)
o monstro espreita
mudo.

9 comentários:

  1. meu querido monstro,

    agora a música que ouço é a do caos. talvez um deus perceba os contornos. ou talvez você, meu querido monstro.
    um encontro de disformes.

    ResponderExcluir
  2. Muito em pouco, Vagner. Como deve ser! Bacana como sempre!

    ResponderExcluir
  3. Vagner, lindo, lindo poema. a alma sempre à tona, abraçada ao caos.

    ResponderExcluir
  4. Muito lindo seus poemas Vagner.

    ResponderExcluir