sexta-feira, 26 de outubro de 2012

o urso, de Marcílio França Castro


O URSO

Quando já não havia mais para onde escapar (e minha voz, após o esforço, soava como um débil gemido), quando na casa nenhum enfim sobrevivera, e nada ao redor podia ter interesse ou fazer sentido, enfiei-me no quarto e tranquei a porta. Daqui, sigo olhando pelo vidro e esperando a hora, tal como aquele urso branco que, há muitos anos, vi em uma fotografia, isolado em um bloco de gelo no meio do Ártico.


Marcílio França Castro, em Breve cartografia de lugares sem nenhum interesse, Ed. 7 Letras, 2011.


Imagem: Urso polar, Google

2 comentários:

  1. esse conto do Marcílio é de uma beleza avassaladora. dói do começo ao fim.

    ResponderExcluir