sábado, 30 de junho de 2012

entrelaçamentos: para Mariza Lourenço

METAMORFOSE

Sentia-se atraída por abismos e escarpas. Com o tempo, melhor escutando, percebia vozes que subiam pelas encostas. Tocavam-na pelo corpo todo. Com elas, aprendeu a recuar. Um passo, dois, muitos. Cores cobriram suas asas. Era o voo. As quedas, agora, não passavam de acidentes geográfico​s.

2 comentários:

  1. esse conto é lindo, Alberto. e sou grata demais a você pelo presente.
    (digo novamente: não mereço)
    beijão.

    ResponderExcluir