quarta-feira, 11 de julho de 2012

adeus (por um fio)


E talvez
em chama aviste acima o rosto
nítido Nas mãos
os fios ainda são sentidos (mil
balões colorindo o fundo blue

Ou vestido de chuva, o rosto nuvem
Entreabrem-se os dedos (restam cinzas

Ou pairando no nada
aquela ausência Nas palmas
os sinais as tantas linhas

(onde foram
nem estrelas.
                                                                                                                Excursion Into Philosophy. Edward Hopper, 1959.

11 comentários:

  1. Vagner, belo poema! As estrelas que não foram... Hopper ficou muito bom.

    ResponderExcluir
  2. Gostei do poema e da escolha do pintor: Hopper, meu predileto, assim como as formas breves da poesia.

    Lirívia

    ResponderExcluir
  3. Meus cumprimentos, poeta! Ave, poesia!

    ResponderExcluir
  4. Veja os sapatos na tela do Hopper, Alberto: andaram "pisando estrelas". Salve, meu Poeta!

    ResponderExcluir
  5. Lirívia, obrigado por visitar nossa casa! Deixei uma flor na porta da sua.

    ResponderExcluir