quarta-feira, 15 de abril de 2015

Ato de fogo

Francisco de Goya. El incendio de noche (detalhe), 1793.

(para alguém da terra
na sua cor)

Mesmo o bicho talhado em labaredas
deita-se como em primeira vez
quando se deita na terra
que arde

Encrespa, geme e crava
em busca de que o fundo - o lugar mais úmido
cure a fome, o fogo que o consome

E é do movimento que erra, de fera
o casar ao acaso seu passo ao do fogo:
o incêndio se faz dentro
por um instante, lento
na dança do abraçar as chamas

No entanto o fogo vence
o bicho grita
escorre e morre
fincado
na terra.

0 comentários:

Postar um comentário